Notícias 27/12/2017

Claro empurra as discussões do ACT para 2018

A Claro empurrou a negociação do Acordo Coletivo de Trabalho para 2018. A empresa é a única operadora de telefonia que não fechou o ACT 2017, mesmo com as discussões sendo iniciadas antes da data base da categoria, que é 1º de setembro.

A próxima rodada de negociação está agendada para ocorrer no dia 03 de janeiro. Dentre os itens que estão em discussão entre os representantes da operadora e a comissão dos sindicatos estão a escala de trabalho, o ACT, a rede credenciada do plano de saúde e o Programa de Participação nos Resultados - PPR.

A Claro impôs aos seus empregados alterações nas jornadas de trabalho sem qualquer discussão com o Sindicato, mesmo com essa prerrogativa sendo exigida por lei. As diversas escalas de jornada implementadas pela empresa com o objetivo de extinguir o pagamento de horas extras trazem reflexos negativos para itens como o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS, INSS e Férias, que usam como base o total de horas extras realizadas pelo trabalhador. Esses são alguns dos motivos pelos quais o Sindicato é contrário à alteração da escala de trabalho que extingue o pagamento de horas extras.

Em pesquisa realizada pelo Sinttel Bahia com os empregados da Claro, a maioria aprova as suas respectivas escalas (de um total de 203  empregados que responderam à pesquisa, 83,3% estão satisfeitos com a jornada de trabalho; 14,3% não estão satisfeitos e  2,4% propuseram outras escalas. Para verificar os dados da pesquisa acesse o link (http://ow.ly/Fm6j30hiGBe.

Plano de saúde

O plano de saúde também é um problema detectado pelo Sindicato já que os empregados da Claro que utilizam o Unimed estão tendo que lidar com a redução de clínicas e hospitais conveniadas ao plano de saúde.  

Na última negociação acordamos com a Claro a ampliação da rede, mas o que estamos atestando é a diminuição da rede conveniada.  

Importância do Acordo coletivo de trabalho

O acordo coletivo de trabalho é o instrumento jurídico que normatiza as relações entre empresa, empregados e sindicato no ambiente laboral e é celebrado entre o sindicato dos trabalhadores e determinada empresa.

 No Sinttel Bahia o acordo coletivo é discutido com os trabalhadores desde a composição da pauta de reivindicações – formulada com base nas sugestões dos empregados – até o fechamento – com a realização da assembleia que aprecia e aprova a proposta discutida entre empresa e sindicato.

Através do acordo coletivo os trabalhadores têm assegurados itens como piso e reajuste salarial, tíquete alimentação e/ou refeição, assistência médica, auxilio creche/babá, auxilio educação, auxílio medicamentos, dentre outros itens sociais e econômicos.

Com a nova reforma trabalhista, o acordado sobrepõe o legislado, o que dá ainda mais força e importância ao Acordo Coletivo de trabalho. Participe, opine e contribua com as negociações.

 

 

Sindicalize-se + Mais

Galerias + Fotos

sem imagem sem imagem sem imagem sem imagem

Charges + Mais