Notícias 01/11/2017

Telefônica cresce 28,3%, mas quer pagar apenas 1,38% aos empregados

Na mesma semana em que divulgou um crescimento de 28,3% em relação ao terceiro semestre de 2016, o que representou um lucro líquido de 1,2 bilhão, a Telefônica/Vivo ofereceu aos seus empregados apenas 1,38% de reajuste salarial a partir do próximo ano.

De acordo com a proposta da empresa, não haverá respeito à data base, que foi 1º de setembro e os trabalhadores (exceto executivos, aprendizes e estagiários) receberão um abono de 25% do salário nominal.  A cesta básica será paga pela metade e incorporada ao salário, o banco de horas terá o prazo de compensação ampliado para 180 dias e não haverá reajuste no aluguel de veículo. 

A proposta foi automaticamente rejeitada pelo Sinttel  Bahia e demais sindicatos e uma nova rodada de negociação foi agendada para o dia 06 de novembro. Esperamos que a Telefônica/Vivo ofereça uma proposta digna de ser apreciada pelos sindicatos e pelos trabalhadores.

Veja os itens da proposta rejeitada pelo Sinttel Bahia:

  • Reajuste de 1,38% em agosto de 2018;
  • Abono de 25% do salario nominal, exceto para executivos, aprendizes e estagiários;
  • Fim da cesta básica, já que a empresa propõe o pagamento de apenas 50% do valor praticado atualmente e incorporado ao salário;
  • Banco de Horas: Ampliação do prazo de compensação para  180 dias;
  • Aluguel de veículos: Zero de reajuste
  • 1,38% nos demais benefícios econômicos a partir de janeiro/2018. 

Sindicalize-se + Mais

Galerias + Fotos

sem imagem sem imagem sem imagem sem imagem

Charges + Mais