Notícias 29/11/2017

Claro insiste em reduzir direitos

 

O Sinttel Bahia junto à Comissão Nacional da Fenattel se reuniu com a Claro, no último dia 22, em São Paulo, para mais uma reunião de negociação para fechamento do Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2019 e Programa de Participação nos Resultados 2017.


A empresa manteve uma postura resistente de estender a elegibilidade de PPR, apresentou reajustes baixos para o trabalhador, buscou excluir e reduzir alguns benefícios.

Os Sinttel’s prontamente reivindicaram a reposição integral da inflação mais aumento real nos salários e benefícios, cobraram a retirada do gatilho e também a diminuição da elegibilidade para que todos os trabalhadores recebessem o programa de forma proporcional.

 Vale lembrar que a Claro é a segunda maior operadora do País, logo, uma proposta tão distante das reivindicações do Sindicato e dos trabalhadores, somada a tentativa de retirada de direitos, chega a ser desrespeitosa e incoerente.

 

Confira a proposta da Claro: 

 

• Salários: reajuste de 1,65%, exceto para gerentes e executivos;

 

• Vale Alimentação: 1,65%;

 

• Auxílio Creche: 1,65%;

 

• Piso salarial: ZERO de reajuste; 

 

• Auxílio Educação Especial: ZERO de reajuste; 

 

• Auxílio Doença: reduzir a complementação para 100 dias;

 

• Horas extras: transformar todas as horas trabalhadas (inclusive em domingos e feriados) a mais em banco de horas, sem nenhum acréscimo (mudança da Reforma Trabalhista);

 

• Excluir o adiantamento do 13º salário em fevereiro;

 

• Excluir a garantia de emprego ou salário pelo prazo de 30 dias após o retorno das férias.

 

PPR/2017

Para o PPR, a empresa insiste em manter a elegibilidade de 90 dias e o fluxo de caixa livre.

 

 

 

Veja a contraproposta do Sinttel:

 

  • Retirada de gatilho do Acordo Coletivo de PPR;
  • Fixação da elegibilidade para 30 dias;
  • Reajuste de piso e salários em 2,5% respeitando a data base;
  • Auxílio creche 2,5%;
  • Vale alimentação 2,5%;
  • Garantia de emprego e salários após gozo de férias;
  • Manutenção dos 150 dias de complementação integral do auxílio doença acidentário e previdenciário;
  • Abono em tíquete alimentação no fechamento do acordo;
  • Compensação das horas extras, desde que sua inclusão no banco de horas ocorra com acréscimos legais convertidos em horas e com redução do prazo de compensação para 60(sessenta) dias e 44(quarenta e quatro) horas limite;
  • Manutenção das demais cláusulas.

Após a recusa da proposta pelo Sinttel, a empresa agendou uma nova reunião para o dia 05 de dezembro.

 

Veja aqui o informativo completo

Sindicalize-se + Mais

Galerias + Fotos

sem imagem sem imagem sem imagem sem imagem

Charges + Mais